Atualmente, no mundo, cerca de 1,3 milhão de pessoas morrem em consequência de acidentes de trânsito. E o Brasil, infelizmente, está em situação de destaque no ranking da violência do trânsito. Segundo dados do Ministério da Saúde, o Brasil possui uma taxa de 18,9 fatalidades por grupo de 100 mil habitantes, enquanto países líderes registram apenas 5 mortes por grupo. E não havendo investimentos e ações dos governantes em educação, esses números poderão dobrar até 2020, sendo que há a necessidade de um trabalho urgente.

Entende-se que a conduta no trânsito é uma questão de compreender a cidadania como sendo o exercício responsável de direitos e deveres, reconstruindo comportamentos, valores, hábitos e atitudes, para que uma nova cultura se instaure no trânsito do país. Pode-se começar desenvolvendo novas culturas na base escolar, inserindo em sala de aula, o tema Trânsito, sendo este o objetivo da Cettrans. Assim, o Programa de Educação e Cidadania para o Trânsito Se Essa Rua Fosse Minha traz a proposta de um trabalho dinâmico sobre um tema importante no currículo escolar: “A educação para o trânsito”.

Esse programa oferece material que permite desenvolver um trabalho preventivo, envolvendo alunos, pais, professores e comunidade na aquisição de atitudes voltadas para o bem comum, adotando comportamentos que resultem em um trânsito mais seguro e humanizado, preservando vidas.

Além do material ofertado, contempla-se a formação dos educadores, que aconteceu nessa quarta-feira (03) no auditório do Paço Municipal. A formação foi ministrada pela pedagoga e especialista em alfabetização, educação infantil e orientação educacional, Mariza Hadlich, da cidade de Curitiba. Cerca de 80 professores do Ensino Fundamental I, participaram do curso.

Durante a formação os professores puderam expor opiniões, tirar dúvidas e participaram de dinâmicas onde tiveram a oportunidade de colocar em prática os assuntos debatidos na formação.

“Os educadores conseguiram compreender que o trânsito pode ser trabalhado em sala de aula, sem a existência de uma disciplina para tal, pode-se integrar o tema no cotidiano, no planejamento das demais disciplinas. Assim, acreditamos que esse trabalho terá bons resultados na nossa cidade, visto que mais de 60 escolas participaram da formação” – explica a educadora de trânsito, Luciane de Moura.

Fonte: Cettrans